quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Palestra e Bate Papo | CARNE FRESCA - Os desafios e delícias de ser novo no mercado, com o Estúdio Bogotá



E pra fechar o semestre com chave de ouro, conversamos com as meninas do Estúdio Bogotá! Marcela Dantés, Paula Cotta e Renata Polastri nos contaram sobre a trajetória pessoal de cada uma delas, de como decidiram empreender e "os desafios e delícias de ser novo no mercado"!

Fale com elas pelo facebook: https://www.facebook.com/estudiobogota

9 comentários:

Flávia Amaral disse...

Estamos chegando na reta final do curso, e o desespero do “o que fazer depois” começa a aparecer. No geral, todas as palestras deram um bom panorama do mercado e das possibilidades para quem está saindo da faculdade. Contudo, a palestra das meninas do Estúdio Bogotá foi, na minha opinião, a que melhor esclareceu esse universo sombrio pós-formatura.

Elas conseguiram explicar muito bem toda a trilha que percorreram, todos os desafios e conquistas como escritório de design novo no mercado e, principalmente, como profissionais que tiveram a coragem de dar a cara a tapa, sair de uma empresa já estabelecida e abrir o próprio negócio.

Um ponto extremamente importante abordado foi a possibilidade de controle do próprio horário de trabalho e quais as vantagens e desvantagens disso. Uma das coisas que me atraiam em abrir o próprio negócio era exatamente poder trabalhar na hora que fosse mais conveniente, poder marcar um médico ou fazer uma viagem, assim como apontado pelas meninas. Já sabia, claro, que não era liberdade total pois as responsabilidades são ainda maiores. Mas o modo como elas descreveram o intenso ritmo de trabalho, deixou ainda mais evidente a dificuldade de não se ter uma carga horária fixa para trabalhar.

Não somente o horário, mas também as contas, contratos, clientes, tudo necessário ao bom funcionamento de uma empresa, batem de frente com a possibilidade de vestir e calçar o que quiser, trabalhar de casa, levar um lanche ou almoço diferente, levar animais de estimação, etc.

Concluindo, a palestra foi excelente para clarear o caminho entre formar e entregar o primeiro trabalho para um cliente oficial, que não mãe, pai, tia, avó... Eu, que penso em abrir meu próprio negócio de fotografia, pretendo, agora, pensar e me planejar muito bem para ter certeza de que vai ser um trabalho gratificante e que dará certo, sem correr o risco de se tornar uma grande frustração.

Unknown disse...

(Breno Sousa)

Depois de uma série de palestras mostrando as possibilidades depois da temível formatura e o fim do TCC, vimos que há muito espaço para se fazer o que gostamos e até tentar algo novo. Alguns viajaram, fizeram cursos, começaram carreiras em empresas maiores e com as meninas da Bogotá parece que aconteceu tudo isso meio que misturado.
E isso foi o que mais me agradou em toda a conversa delas. Foi ver que no fim, é a soma de um monte de coisas que leva a gente pelo caminho que queremos ir. Elas se formaram, fizeram cursos fora, correram atrás de empregos em lugares legais, foram parte de um escritório bacana e agora estão montando o próprio negócio.
Fiquei bem feliz de poder ver com o ciclo de palestras exemplos próximos de pessoas que tiveram um início muito parecido com o nosso e vislumbrar quais caminhos a gente pode trilhar. Em especial, nessa última palestra, o legal foi perceber que você não precisa sacrificar uma coisa pra poder ter as outras, que você pode ter tudo no final, uma coisa de cada vez.

Paulo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo disse...

Paulo Henrique Diniz Silva:

Como estamos no final do curso, chegamos em uma fase da vida em que é importante saber o que vem depois da formatura. Terei realização financeira? Como será meu tempo daqui para frente? Terei qualidade de vida? Devo procurar um emprego ou seria melhor tentar abrir um negócio?

A conversa com Marcela Dantés, Paula Cotta e Renata Polastri, do Estúdio Bogotá, foi direcionada a dar uma luz a esses exatos questionamentos.

Achei interessante ser levado a pensar que ser empreendedor é, antes de mais nada, ser organizado e passar por uma série de processos pessoais e profissionais. Apesar da idéia geral de que ter o próprio negócio significa liberdade, há de se pensar nos desafios, como o acúmulo de funções, a obrigação de lidar com as burocracias em geral e a tentativa constante de se estabelecer/se manter no mercado.

Depois do encontro com essas profissionais, ficou mais fácil colocar algumas coisas na balança a fim de tentar fazer escolhas mais acertadas para o futuro.

Juliana disse...

O segundo semestre de 2014 foi marcante para os alunos do 8º período do curso de Design Gráfico que tiveram a oportunidade de acompanhar uma série de palestras particularmente únicas, apresentando novas perspectivas, conceitos, ideias, conselhos, experiências.
A última palestra trouxe consigo três amigas que encontraram uma característica em comum e decidiram transformá-la num elo: o desejo de ir além, de construir um negócio próprio. Foi muito interessante e enriquecedor ouvir o discurso de Marcela Dantés, Paula Cotta e Renata Polastri. As meninas nos mostraram um ângulo talvez ainda não apresentado no ciclo de palestras, no sentido de explorarem todas as experiências, dúvidas e receios que passaram ao abrir o Estúdio Bogotá. Cada um dos questionamentos que elas expuseram fazem parte do universo daqueles que se veem há apenas alguns dias de entregar sua cadeira de aluno universitário, ao apresentar o Trabalho de Conclusão de Curso. Tivemos a oportunidade de ouvir o passo a passo do surgimento do empreendimento, desde a demissão do antigo emprego à listagem de materiais básicos, como boleador (que ainda está faltando), para o novo escritório.
Pode soar clichê, mas uma vez li em algum lugar uma frase de Madre Tereza de Calcutá que me chamou a atenção: “Sei que meu trabalho é só uma gota no oceano, mas sem ele, o oceano seria menor”. Às vezes por estarmos numa cidade “pequena” comparada a outras grandes capitais, nos formando numa profissão relativamente nova no mercado, podemos chegar a pensar que não há espaço para nós, porém, com a fala do Estúdio Bogotá aprendemos que não é bem assim. É possível sim deixar uma marca, criar um nome como Designer e fazer diferença na cidade local, mas, obviamente, antes de tudo é necessário estabelecer metas, planejamento, dialogar, visualizar o processo como um todo, em suma, relembrando a fala de um dos primeiros palestrantes: “movimentar-se”.

Unknown disse...

(Fernando Dias)

No último seminário deste ciclo enriquecedor que vivenciamos, ouvir Marcela Dantés, Paula Cotta e Renata Polastri do Estúdio Bogotá foi inspirador. Neste período de conclusão de curso em que um mundo de possibilidades se abre à nossa frente, acredito que todo mundo já parou pra pensar em como seria abrir seu próprio negócio. Mas esse pensamento sempre vem acompanhado de uma série de questionamentos. Será que eu sou capaz? Sou bom o suficiente? Conseguirei bons clientes? Serei engolido pelo resto do mercado?
O que mudou, para mim, com a fala das meninas, foi ver que um grupo de pessoas com perfil não muito distante do nosso - que se formaram não faz tanto tempo e com algumas boas experiências no mercado - se arriscaram e, até agora, têm obtido sucesso em sua empreitada. É claro que isso vem acompanhado de uma série de desafios, e foi admirável a abertura das meninas para nos contar todos os que já enfrentaram e todos os que ainda vêm enfrentando. Estes desafios, no entanto, também trazem recompensas que valem muito a pena. Desenvolver um trabalho em que se acredita, receber os devidos créditos por ele, ter o controle sobre o próprio dia-a-dia. Depois disso tudo, eu senti o sonho do negócio próprio mais possível, mais perto.
Além disso, o que se pode concluir dessa palestra é que não se deve esperar que boas oportunidades apareçam. É preciso identificá-las e potencializá-las, e foi o que as meninas fizeram do bom freela que conseguiram: o transformaram na mola propulsora que faltava para que elas agissem para abrir o estúdio. Até agora, parece que tem dado certo. O que desejo é que elas continuem tendo sucesso nessa empreitada que tanto tem a acrescentar ao design mineiro e brasileiro. E que todos nos inspiremos nelas para não ficarmos parados e sempre irmos em busca dos nossos objetivos. Avante!

Daniel Abreu disse...

Montar seu próprio negócio nunca foi algo fácil. O sonho de tantos, que tão poucos tentam, onde tantos falham e muitos alcançam o sucesso. Vimos a história de três garotas que, como tantos outros, largaram tudo que tinham para perseguir seu sonho em comum.

Não existe no Brasil hoje, trabalho mais difícil que o do empresário. A responsabilidade para gerir e exercer seu papel nunca foi tão grande, afinal, a empresa é o empresário, e cresce de acordo com o tanto que ele se dedica a ela. Foi o que as garotas do estúdio Bogotá descobriram, ao ver que a tão sonhada independência para trabalhar não era a liberdade que imaginavam, mas, pelo contrário, trabalhar todos os fins de semana até o natal. Ao ver a trajetória do estúdio, porém, pode-se ver que as lições de administração estão sendo aprendidas rapidamente, e que dedicação e perseverança não estão nem um pouco em falta, dando à empresa tudo que ela precisa para não entrar estatística de 98% das empresas que fecham durante o primeiro ano de operação.

Rodolfo disse...

A última palestra da disciplina foi muito inspiradora, foi bem legal ver como elas empreenderam nas próprias carreiras, o fato delas se especializarem, buscar trabalhar com o que de fato lhe dar prazer. Empreender é buscar fazer acontecer, é dar o primeiro passo em direção aos seus objetivos.
Ter o seu próprio escritório em um primeiro momento parece ser libertador, mas na verdade as responsabilidades aumentam ainda mais, você tem que administrar o seu tempo com ainda mais rigor, e toda essa responsabilidade traz consigo dúvidas, questionamentos que serão solucionados com a nossa vivência de vida e mercado.
E por fim, fiquei com ainda mais vontade de fazer pós graduação em tipografia na UBA.

Maíra Santos disse...

E realmente a última palestra veio para fechar o semestre com chave de ouro. E não poderia ser melhor. Depois de tantas palestras inspiradoras e motivadoras, nos deparamos com as meninas do Estúdio Bogotá,Marcela Dantés, Paula Cotta e Renata Polastri, que resolveram se arriscar e sair de um lugar que já haviam conquistado um espaço muito considerável em busca de realizar um sonho de se tornar dono do próprio negócio.

Tantas dúvidas surgem no final do curso, e muitos de nós, prestes a apresentar o TCC, pensamos em abrir nossa própria agência, mas com a palestra inspiradora que elas nos deram vimos que o caminho é repleto de desafios e que antes de se dar um passo tão grande assim, devemos percorrer outros lugares anteriormente para assim agregar diversas experiências para que o resultado de abrir nossa própria empresa seja mais satisfatório.

Abrir sua própria empresa requer amadurecimento e ao contrário do que parece, as responsabilidades e desafios são ainda maiores, mas com as meninas, podemos perceber que quando algo é feito com amor e quando gostamos muito do que fazemos, as coisas parecem se tornar até mais fáceis.

E que nós, recém formados, tenhamos sabedoria de trilhar um caminho maravilhoso e satisfatório.

Postar um comentário

 

Seminários DG Copyright © 2013 | Layout por Débora Mello